Revestimento De Gesso Liso

Postado em 05/11/2016

Revestimento De Gesso Liso

A escolha do gesso liso como revestimento nos empreendimentos de construção, tem sido impulsionada pela busca por otimização de custos na obra.

Para que este tipo de revestimento tenha um bom desempenho e durabilidade prolongada, alguns cuidados precisam ser observados tanto no processo de escolha quanto na sua execução.

A resistência da massa de gesso varia de acordo com a temperatura e o tempo de calcinação a qual a gipsita foi exposta, sua finura, a quantidade de água usada de amassamento e os aditivos também presentes na sua composição.

Os revestimentos de gesso liso de pega mais rápida possuem elevada finura e alta resistência.

Um fator que pode alterar a pega é a falta ou excesso de água de amassamento em relação aos demais valores adicionados. A taxa ideal de água recomendada na hidratação é de 18,6 %.

O gesso é altamente solúvel e é justamente por este motivo que ele deve ser aplicado em áreas internas livres de qualquer umidade.

Antes de começar o processo de execução do revestimento é preciso que o substrato (bloco de concreto ou reboco) esteja completamente seco, por isso é recomendado um período de 30 dias entre a finalização do substrato e o inicio da execução do gesso.

Após o período de 30 dias o prumo das paredes deve ser verificado, esta correção e de outras eventuais falhas e vazios deveram ser feitos com argamassa. Estas falhas e imperfeições podem interferir no processo de aplicação e comprometer o resultado final que era esperado.

A aplicação do gesso em lajes, por suas superfícies, é necessário uma ponte de aderência, recomenda-se o uso de chapisco rolado, isto serve para garantir a fixação do aglomerado.

Independente do tipo de preparação da superfície onde o revestimento de gesso liso será utilizado, o processo de aplicação é o mesmo. Devendo ser iniciado pelo teto e se estendendo pelas paredes, primeiro pela parte superior e depois a inferior, faça a aplicação das partes superiores com o auxilio de um andaime para ter maior mobilidade e segurança.

Há duas opções de revestimento, o sarrafeado e o desempenado.

No sarrafeamento as faixas mestras e as taliscas proporcionam uma superfície mais rigorosa e plana.

As patologias mais comuns são trincas e fissuras, normalmente ocasionadas por espessura superior a 5 mm, movimentações na estrutura de alvenaria e pela junção das lajes com a alvenaria, pois estas também estão sujeitas as tensões estruturais

 

Outras Notícias

 

Betoneira E Central De Concreto
Postado em 31/12/2016

Ela é uma máquina destinada a preparar o concreto através da adequada mistura dos materiais previamente dosados.

Seu principio de funcionamento pode ser por tambor giratório ou de gravidade e pás giratórias ou de contracorrente.

O tamb...
leia mais »

Quais são os materiais mais usados na construção de pontes?
Postado em 24/12/2016

São estruturas complexas e devem ser cuidadosamente projetadas, usando materiais fortes e duradouros e ao mesmo tempo leves o suficiente para terem uso prático.

Pedra

A pedra é um dos mais antigos materiais usados na construçã...
leia mais »

Como armazenar materiais de construção
Postado em 17/12/2016

Quando você está fazendo uma reforma em casa, é difícil organizar a bagunça do ambiente de depósito, onde são armazenados os materiais de construção. Mas, seguindo estas dicas, além de evitar danos e perdas, você aumenta a...
leia mais »